My default image

Uma das maneiras mais comuns de equilibrar a vida financeira é contratar crédito. De modo fácil, a maioria das pessoas pode ter acesso rápido a quantias dinheiro através desse tipo de transação, basta recorrer a uma instituição financeira. 

No entanto, como já contamos no nosso post sobre crédito pessoal, existem muitas modalidades de empréstimos e, para que você escolha a melhor delas para o seu perfil, é preciso entender bem como funcionam. 

É por isso que, neste post, vamos a fundo conhecer que tipos de crédito existem, quais as melhores opções e como escolher o ideal para você. 

Acesse nosso site e saiba mais sobre nossos serviços, e em que podemos lhe ajudar. Aqui na Culte, mais do que conteúdos informativos, temos financiamento pessoal disponível com a finalidade de ajudar os pequenos agricultores a cultivar e a vender mais. Entre em nosso site e veja os nossos serviços financeiros disponíveis para lhe ajudar.

My default image

Como funcionam os créditos

O funcionamento dos créditos segue um padrão: O cliente pede o empréstimo, a instituição escolhida oferece uma quantia e, caso decida aceitar, o contratante paga de volta ao banco, cooperativa ou financeira em parcelas. 

De fato, o cálculo dos juros, que vêm embutidos nas parcelas do empréstimo, é feito com base na taxa do Banco Central, mais taxas de administração, o lucro da instituição e mais alguns outros. 

Leia também: Proagro Mais: Um seguro público para agricultores

Escolha bem o seu empréstimo

Uma boa dica sobre o que fazer antes de contratar crédito é, definitivamente: Planeje bem. Você deve ter em mente que empréstimos são um compromisso, em geral de longo prazo, e que irão parar no orçamento do mês junto com os juros acoplados. 

Portanto, procure uma empresa que você confia e que entenda as suas necessidades. Por exemplo, se você é (ou pretende ser) um produtor rural, saiba buscar quem entende da lida no campo e que tipos de ajuda financeira você precisa.

Além disso, parte do planejamento é conhecer os tipos de créditos que existem para contratar. São os mais comuns:

1) Crédito pessoal não-consignado

Para pessoas físicas. Quando a empresa concede o empréstimo, mas com o compromisso de que ele vai ser quitado em seguida. O contrato não inclui, por exemplo, desconto direto do salário do cliente. Boletos mensais. 

2) Crédito pessoal consignado

Dessa forma, também para pessoas físicas. Esta categoria, porém, exige um desconto automático do salário de quem empresta. Dessa forma, esse tipo de crédito só pode ser tomado por quem tem um contrato de trabalho ou um meio consistente de receber dinheiro. Para assalariados, o crédito só é garantido se a empresa tiver convênio com a instituição financeira. 

3) Crédito pessoal com garantia de veículo ou imóvel

Por sua vez, esta modalidade exige garantias antes de liberar o empréstimo. O mais comum é que um imóvel ou veículo (ou outros bens!) seja usado para o caso de o pagamento não ser feito em sua totalidade: dessa forma, o bem pode ser tomado pela instituição financeira. 

4) Cheque especial

As taxas de juros são mais altas nesta modalidade. Em compensação, é automático e, por isso, muito mais fácil de ter acesso: Quando o cliente zera o seu saldo em conta, o cheque especial entra em ação. O débito também é automático nos depósitos da conta. Ele só deve ser usado em último recurso. 

5) Cartão de crédito 

De fato, sim, ele também faz parte das linhas de crédito mais comuns. Também é um contrato muito fácil, mas com juros altos. Em contrapartida, os cartões têm um limite bem especificado e, por isso, não é possível garantir todo tipo de aquisição com eles. 

6) Financiamento 

E, finalmente, o financiamento. A grande diferença nessa categoria é que o crédito é oferecido com uma destinação pré-determinada, assim como o valor das parcelas e as taxas de juros. Aqui, os juros são mais baixos e os prazos, bem mais longos. Sendo assim, este é o ideal para a compra de um bem caro e o dinheiro vai, obrigatoriamente, para este único propósito. 

7) Outros

O leque de possibilidades – e modalidades – não para por aí. Além de todas essas opções acima, algumas empresas oferecem créditos para adiantar uma parcela do salário, restituição do Imposto de Renda, etc.

Leia também: Pronaf Banco do Brasil: Conheça suas condições e taxas

O segredo para contratar crédito

Afinal, o que é necessário para contratar crédito? Bem, a resposta é ampla assim como o leque de opções. Por mais que, hoje em dia, contratar crédito seja muito menos complicado, cada produto tem suas próprias regras. Por isso é melhor pesquisar bem qual encaixa melhor com a sua realidade como cliente. 

O principal é ter as suas documentações mais importantes: documento oficial com foto e CPF que comprovem a maioridade. Além disso, as instituições financeiras podem precisar de comprovante de residência e de renda. 

Também é importante que você tenha uma boa reputação por aí: as empresas que podem lhe conceder crédito provavelmente levarão em conta se você está negativado no SPC, Serasa ou outros serviços de análise. Dessa forma, sua taxa de juros pode subir ou seu empréstimo nunca sair. 

Do mesmo modo, há ainda o “score”, uma pontuação que mostra a confiabilidade do cliente como consumidor. Essa categoria dá notas de 0 a 1000 para quem usa cartões de crédito e – o que é importante – pagam em dia. 

Existem, ainda, muitas oportunidades de encontrar crédito pela internet! Com serviços como os oferecidos pela Culte, por exemplo, dar entrada e ter acesso ao dinheiro pode ser um processo que leva menos de dois dias. O segredo é buscar sempre as financeiras mais preparadas para cuidar da sua necessidade. 

Enfim, tudo que você precisa é entrar em contato com o banco, fintech ou outra empresa que ofereça o serviço e descobrir suas condições específicas, pois elas mudam de acordo com a instituição, assim como as taxas. 

My default image

Últimos cuidados

Mesmo que pareça simples contratar crédito, nunca é demais relembrar que alguns detalhes não devem, jamais, passar despercebidos na hora do empréstimo.

  • Taxa de juros: é sempre a maior preocupação na hora de contratar crédito. Isso porque ela tem que entrar nos cálculos das parcelas e não deve “engolir” todo o orçamento do cliente. 
  • IOF: O Imposto sobre Operações Financeiras também faz parte do cálculo e consiste em 0,38% do valor total do empréstimo, mais uma alíquota diária, e tem o limite de 3%.
  • Reputação: por mais que sejam atraentes, nem toda empresa pode fazer o melhor por você. Busque sempre aquelas que entendem quem você é e o que precisa para crescer cada vez mais!

Que tal chamar a Culte na hora de contratar crédito?

Por falar em entender o melhor para os clientes… 

A Culte nasceu para facilitar a vida dos trabalhadores rurais na hora de cuidar de seus negócios. Seja através de empréstimos, antecipação ou só umas dicas, a Culte pode oferecer mais para você. 

Conheça os nossos serviços, converse conosco e descubra como nossa parceria pode lhe ajudar!

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

My default image