Coronavírus na agricultura: qual é o impacto da pandemia?

Na economia mundial, o surto de coronavírus tem trazido efeitos negativos. A Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico diminuiu a projeção para o crescimento mundial de 2020 em cerca de 0,5% em função da pandemia. Mas como podemos medir o impacto do coronavírus na agricultura?

Atualmente, a Europa é a região mais afetada, com muitos países declarando estado de emergência. Para Edmar Gervásio, técnico do Departamento de Economia Rural da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento, ainda é cedo para medir os impactos do Coronavírus no agronegócio. “Quando tem um cenário nesse sentido, tem uma tendência da economia retrair como um todo. Todos os países acabam sendo impactados. É preciso aguardar algumas definições para poder traçar esse cenário”, diz Edmar.

E como fica o nosso agro?

Já Carlos Caldarelli, professor de economia da Universidade Estadual de Londrina avalia que o surto do coronavírus não será suficiente para causar impacto significativo no agronegócio Brasileiro. Segundo Carlos, existirão impactos pontuais em alguns mercados. Mas conforme o professor, não terão a capacidade de alterar a dinâmica do agronegócio brasileiro. O professor pontua que o fator pode ser explicado pelo fato do agronegócio nacional ser muito bem estabelecido. Com muitos parceiros em diversos mercados, ou seja, teremos impactos, mas serão pontuais e passageiros.

Um ponto considerável é que as oscilações do câmbio podem encarecer os insumos importados. Mas torna os produtos exportados pelo Brasil mais baratos e assim, mais competitivos. Para concluir, o professor da UEL afirma: “No agronegócio, teremos registro de algumas perturbações em mercados específicos, mas pontuais e passageiras. Nada substancial que mude a dinâmica do setor”.

Segundo Orlando Leite, Secretário de Comércio e Relações internacionais do Ministério da Agricultura, ainda não foram registradas disrupções nas exportações nacionais.

Gerenciamento de Crises

Anteriormente, o agronegócio brasileiro já passou pelo gerenciamento de crises causadas pela proliferação de doenças virais, como aconteceu com a H1N1, popularmente conhecida como gripe suína. No entanto a correta gestão dos negócios é essencial em situações como essas, principalmente tratando-se da agricultura familiar.

Nesses momentos, mais uma vez a tecnologia surge como uma ferramenta aliada. Sempre pensando no pequeno produtor, a Culte se coloca como uma oportunidade de integração e inclusão tecnológica. Oferecendo uma Plataforma financeira completa e um Marketplace. Espaço onde os produtores rurais podem divulgar sua produção para todo Brasil.

Na atual situação, essa vitrine virtual se mostra como excelente alternativa de transações comerciais, agregando maior segurança e praticidade aos negócios. A Plataforma financeira focada no agro facilita a gestão financeira do agricultor reunindo em um só local vendas, empréstimos, antecipações, recebimento por cartão, emissão de boletos, pagamentos de contas.

A OMS (Organização Mundial da Saúde) aconselha a utilização da tecnologia como forma de pagamento. Evitando o contato direto com o dinheiro físico e consequentemente, a proliferação ainda maior da COVID-19. Tá esperando o que pra fazer seu cadastro? Entre na Culte gratuitamente e comece a explorar todas essas oportunidades.

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *