Crescimento sustentável e igualitário no agro é essencial

Assim como nas outras esferas econômicas e sociais do nosso país, nosso agronegócio é muito desigual. E portanto temos muitas oportunidades de crescimento. Atualmente os principais exportadores são os grandes produtores agrícolas. Pois são eles que dispõe de recursos para utilizar o pacote tecnológico mais adequado, contratar profissionais capacitados, e utilizar os insumos de maneira carreta. Chegou a hora de pensarmos em criar um crescimento sustentável e igualitário do nosso agronegócio.

Para isso, é preciso disponibilizar recursos, tecnologias, metodologias e oportunidades de forma igual. Para que, pequenos produtores possam melhorar suas propriedades e impulsionar o agronegócio brasileiro. Garantindo maior produtividade e qualidade nos produtos que consumimos e exportamos.

Abordaremos no texto as principais informações sobre o assunto. Como o cenário do agronegócio no Brasil, benefícios da sustentabilidade e igualdade no agronegócio e como a Culte pode contribuir neste processo. Acompanhe!

Como é o cenário do agronegócio brasileiro?

O agronegócio é muito importante para a economia do país. Sendo responsável por 23% do nosso Produto Interno Bruto (PIB) e 14% dos empregos disponíveis no mercado. Além disso, corresponde a 39% de nossas exportações, que por sua vez são dominadas pelos grandes produtores rurais. Entretanto, é equivocado afirmar que os grandes produtores de hoje sempre estiveram neste patamar.

Majoritariamente, os grandes produtores da atualidade eram pequenos agricultores há três décadas, o que mostra que o setor apresenta certa mobilidade. Todavia, é preciso pensar na atualidade e criar mecanismos para que pequenos agricultores possam se tornar médios e grandes produtores. Estimulando a concorrência, competitividade, melhorando a produtividade e a qualidade dos produtos agrícolas para todos.

Agricultor familiar colhendo verduras em sua horta. O crescimento sustentável do setor garantiria um cenário mais igualitário para trabalhadores rurais como ele.

Vale ressaltar que a diferença entre grande e pequeno produtor não está relacionado exclusivamente a área da propriedade rural. Mas também com produtividade, lucratividade, faturamento, quantidade de mão de obra utilizada, entre outros.

Destacamos ainda que o crescimento sustentável deve ser guiado para viabilizar a estabilidade no setor e no meio ambiente para as próximas gerações. Pois quando falamos em crescimento sustentável, estamos nos referindo tanto à esfera econômica, quanto ambiental e social. Já o crescimento igualitário deve acontecer para diminuir as desigualdades sociais em nosso país. E aumentar a competitividade entre os produtores rurais, o que aumenta a sua produtividade e, consequentemente, o lucro, o que é bom para todos os envolvidos no mercado.

Por que o agronegócio precisa de um crescimento sustentável e igualitário?

Tão importante quanto conhecer o por quê de adotar um crescimento sustentável e igualitário para o nosso agronegócio é conhecer os seus benefícios. Tanto para o agronegócio como para o país de forma geral.

Eliminação e diminuição dos “Gaps”

“Gap” em inglês significa buraco. Ou seja, os “gaps” na agricultura são barreiras para a produtividade. Entre os principais, podemos citar o financiamento, assistência técnica, tecnologia, produtividade, logística, compra de insumos, venda da produção, seguro agrícola. Atualmente, estes “gaps” são maiores para os pequenos produtores rurais. Com o crescimento sustentável e igualitário, estas barreiras diminuirão para todos.

Aumento da disponibilidade de empregos no campo

Apesar de termos presenciado o esvaziamento do campo ao longo dos últimos séculos. Ainda há segundo dados do PNAD, pelo menos 30 milhões de brasileiros vivendo em zonas rurais, que almejam também melhor qualidade de vida. Em vez de concentrar o emprego em grandes cidades com todo tipo de problemas em infra estrutura. O crescimento sustentável e igualitário no campo gera empregos, renda e garante a produção de alimentos para o mundo.

Tem-se observado que jovens buscam a capacitação profissional em segmentos agrícolas para poderem continuar no campo. E são eles os principais fomentadores de novas tecnologias capazes de criar um circulo virtuoso com a geração de mais empregos e mais renda.

Crescimento do PIB

Com maior competitividade e maior produtividade, teremos mais produção agrícola sendo gerada. Como o PIB corresponde a todas as riquezas produzidas no país, ele aumenta com o crescimento da atividade agrícola. Por sua vez, os trabalhadores do agronegócio investem e geram a economia da zona urbana. Influenciando em outras áreas, como serviços e comércios, em um efeito cascata que beneficia a todos.

Diminuição das desigualdades sociais

Conforme ressaltamos anteriormente, o Brasil é um país muito desigual e, infelizmente, nosso agronegócio é um reflexo dessa estrutura. Entretanto, é possível alterar esse quadro possibilitando que pequenos agricultores possam melhorar sua produtividade e ter boa lucratividade. Para isso ser feito, é preciso dar o primeiro passo, que é tomar ações efetivas para o crescimento sustentável e igualitário do agronegócio.

Redução da fome

A fome é um problema global. Todavia, ela é muito menor do que décadas atrás, graças ao trabalho dos agricultores. O aumento da produtividade foi um dos fatores que contribuiu para essa queda. Entretanto, com constante aumento da população mundial, é necessário que a produção continue aumentando. Tanto para alimentar a nova população que ainda está para nascer. Como tornar acessível a alimentação para as pessoas que atualmente não tem o que comer.

Aumento da produção

Por fim, mas não menos importante, o principal benefício do crescimento sustentável e igualitário é o aumento da produção. Em um mercado monopolizado, ou em que poucos empreendedores dominam grande parte do mercado, não há incentivos para inovação, o que faz a produtividade despencar. Já em um mercado com muitos empreendedores, há competição. E a troca de conhecimento incentiva a inovação e o aumento da qualidade do produto, o que implica em aumento da produção.

Como a Culte pode levar o desenvolvimento sustentável ao pequeno produtor rural?

Já vimos no decorrer deste artigo. A importância do crescimento do agronegócio ser sustentável e igualitário. Além dos benefícios que essas características introduzem na agricultura brasileira. Mas como implementar esses atributos para o pequeno produtor rural?

Foi com essa inquietação que a plataforma da Culte foi criada. Ou seja, com a missão de levar a tecnologia, também para os pequenos produtores. E possibilitar o aumento da produtividade.

Atualmente nosso país conta com 105.291 engenheiros agrônomos, e muitos buscam novas tecnologias e metodologias para melhorar a produtividade agrícola. A Culte, quer empoderar os pequenos produtores possibilitando que contratem profissionais e empresas especializadas em aumento de produtividade e qualidade dos alimentos.

Pensamos que a tecnologia é uma grande alternativa para melhorar a sustentabilidade econômica, social e ambiental do agronegócio. E possibilitarmos soluções financeiras e mercadológicas para produtores, fornecedores, lojistas do agro e compradores. A Culte já oferece serviços financeiros para que o produtor possa receber pagamentos online e offline. O que facilita muito a comercialização dos produtos do pequeno produtor. Além de uma Conta Digital gratuita e opções de financiamento. Quer conhecer essas e mais vantagens da nossa plataforma? Cadastre-se agora!

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *