My default image

Conheça os 10 produtos de Cultivo Temporário no Nordeste

Primeiramente, o cultivo no nordeste brasileiro é dado por duas opções, o cultivo permanente como já falado antes em outro artigo do blog e o cultivo temporário, que geralmente tem duas safras no ano.

O nordeste está alcançando bons resultados na agricultura porque modernizou sua produção. Dessa forma, as dificuldades que antes existiam ficam menores e os produtores têm mais possibilidades de sucesso.

Leia Mais: Tecnologia no campo: 6 ideias que estão mudando o agro

Aqui na Culte temos financiamento pessoal com a finalidade de ajudar o pequeno produtor, assim como outros serviços financeiros que podem ajudar a agricultura no semiárido. Entre em contato conosco.

Leia também: Cultivo de Hortaliças: Saiba como plantar no verão

My default image

Os 10 produtos de cultivo temporário no nordeste

1) Cultivo temporário da Cana-de-açúcar

Começando a falar sobre os produtos mais importantes de culturas temporárias, em primeiro lugar temos a cana-de-açúcar.

Isso acontece porque o produto atua como principal matéria prima para a produção do álcool combustível. Mesmo que as áreas destinadas pelos canaviais tenham diminuído com o tempo, ainda tem uma boa representação no país.

Por certo, o resumo financeiro sobre o cultivo temporário de cana-de-açúcar:

  • Foram produzidas 128 milhões de toneladas de cana-de-açúcar;
  • Isso corresponde a 16,7% da produção nacional;
  • 125 milhões de toneladas só no semiárido;
  • 19,7% das lavouras temporárias do país;
  • Gera R$ 51,6 bilhões de reais.

2) Soja no Nordeste

A soja, principal produto agrícola de exportação no Brasil, vem em segundo lugar no ranking. De fato, cerca de 10% da soja brasileira sai do Nordeste, da área do Matopiba. Ou seja, a região que abriga municípios do Oeste da Bahia, Maranhão, Tocantins e Piauí.

De fato o, resumo financeiro sobre o cultivo temporário de soja é:

  • Produzidas 9,8 milhões de toneladas;
  • Isso dá 10,3% da produção nacional;
  • Chegamos a 9,7 milhões de toneladas só no semiárido;
  • Corresponde a 40,1% das lavouras temporárias;
  • Gera R$ 104 bilhões de reais.

3) Cultivo de Mandioca no Nordeste

A mandioca, outro produto tradicional, que mesmo sofrendo redução nos últimos anos, ainda assim aparece como o terceiro produto mais importante para a economia nordestina.

O seu cultivo tem uma importância vital para a agricultura familiar, principalmente na região nordeste, porque a mandioca pode resistir à seca, adaptar-se à diversidade de clima e solo, e tem um grande número de produtos e subprodutos gerados a partir da planta.

Portanto, resumo financeiro sobre o cultivo temporário de mandioca:

  • Foram cultivadas 5,7 milhões de toneladas de mandioca;
  • A quantidade corresponde a27,4% da produção nacional;
  • Dessas 5,7 milhões, 5,5 milhões de toneladas só no semiárido;
  • A área condiz com 3,9% das lavouras temporárias do país;
  • Gera em torno de R$ 10 bilhões de reais.

4) Cultivo de Milho no Nordeste

Por certo, considera-se o milho uma das mais importantes e antigas culturas agrícolas, sendo o primeiro cereal em termos de produção, superando o trigo e o arroz.

Trata-se de um produto estratégico para a segurança alimentar da população mundial, porque pode ser usado para a alimentação humana e para alimentação animal. Dessa forma, a maior produção de milho no nordeste encontra-se no estado da Bahia.

Resumo financeiro sobre o cultivo temporário de milho:

  • Cultivadas 9 milhões de toneladas;
  • Cerca de 14,1% da produção nacional;
  • Desses 9 milhões, 8,9 milhões de toneladas cultivadas só no semiárido;
  • A área do cultivo de milho dá 14,4% das lavouras no país;
  • Gera R$ 37,6 bilhões de reais.

5) Cultivo de Algodão no Nordeste

De fato, somos o quarto maior produtor de algodão do mundo e segundo país que mais exporta. A região nordeste concentra a maior produção brasileira de algodão, porque usa muita tecnologia no cultivo.

Resumo financeiro sobre o cultivo temporário de algodão:

  • Cultivados 1 milhão de toneladas de algodão na região do semiárido;
  • Chega a 29,5% da produção nacional;
  • Condiz com 2,6% das lavouras temporárias;
  • Gera R$ 6,9 bilhões de reais.

6) Cultivo temporário do Tomate no Nordeste

Dá pra cultivar tomate durante quase todo ano porque o clima seco permite isso, com estação chuvosa em dois ou três meses do ano.

O uso de tecnologias de irrigação para cultivo de tomate no semiárido brasileiro, foi importante no momento em que esse tipo de cultivo mudou a região com a chegada de indústrias processadoras de tomate no Polo de Petrolina em Juazeiro.

Resumo financeiro sobre o cultivo temporário de tomate:

  • Cultivados 1,3 milhões de toneladas de tomate na região nordestina;
  • Isso dá 33,4% da produção nacional;
  • 1,2 milhões de toneladas só no semiárido;
  • Corresponde a 2,1% das lavouras do país;
  • Gera R$ 5,4 bilhões de reais.

7) Cultivo de Abacaxi no Nordeste

O segundo maior polo produtor de abacaxi do Brasil se encontra na Paraíba, de acordo com os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Dessa forma, o cultivo acontece em uma área de 10.912 hectares, em municípios do Litoral, Zona da Mata e Agreste do Estado. Sendo assim, os municípios paraibanos são os que lideram a produção de abacaxi e a produção está concentrada nas cidades de Itapororoca, Araçagi, Santa Rita, Pedras de Fogo, Lagoa de Dentro e Curral de Cima.

Resumo financeiro sobre o cultivo temporário de abacaxi:

  • Foram cultivados na região nordeste, 878 milhões de abacaxis;
  • Isso dá 48,9% da produção nacional;
  • 832 milhões de frutos foram cultivados só no semiárido;
  • A área dá 0,9% das lavouras temporárias do país;
  • Gera R$ 2,4 bilhões de reais.

8) Melancia no Nordeste

O cultivo da melancia tem sido manejado com irrigação e uso de tecnologias. Assim sendo, atinge altas produtividades, pois esta cultura tem grande potencial no Nordeste brasileiro. Porque a região tem muita luz e altas temperaturas durante o ano inteiro, fatores fundamentais para o desenvolvimento da melancia.

De fato, os estados de Pernambuco e Bahia destacam-se como o maior polo de produção de melancia no Nordeste brasileiro.

Resumo financeiro sobre o cultivo temporário da melancia:

  • Cultivadas 579 mil toneladas no nordeste;
  • Destas, 572 mil toneladas só no semiárido;
  • Condiz a 27,7% da produção nacional;
  • A área corresponde a 0,5% das lavouras temporárias do país;
  • Gera R$ 1,3 bilhões de reais.

9) Cultivo temporário do Melão no Nordeste

O Brasil produz melão em todas as regiões, mas 95,5% da produção acontecem na região Nordeste.

Os estados do Rio Grande do Norte (58,2%) e Ceará (14,7%) são inegavelmente os principais produtores nacionais. O clima semiárido nordestino tem condições ambientais ótimas porque tem temperaturas altas, entre 24 – 32°C.

Dessa forma, o período chuvoso concentrado nos quatro primeiros meses do ano, alta radiação solar e baixa umidade relativa do ar, tornam o local com características ideais para o desenvolvimento do melão de qualidade.

Resumo financeiro sobre o cultivo temporário do melão:

  • Cultivados em torno de 570 mil toneladas no nordeste;
  • Isso dá 95,7% da produção nacional;
  • A área diz respeito a 0,2% das lavouras temporárias;
  • O cultivo gera R$ 597 milhões de reais.

10) Feijão no Nordeste

De fato, em décimo e último da lista, o feijão. O produto tem muita importância porque age como fonte de energia, com baixo teor de gordura e por certo, ingrediente indispensável na cozinha brasileira e nordestina.

Dessa forma, a produção de feijão irrigado vem forte no oeste da Bahia, implantada na região de Barreiras.

Por tanto, o resumo financeiro sobre o cultivo temporário do feijão:

  • Produzidas 835 mil toneladas no nordeste;
  • Destas, 822 mil toneladas só no semiárido;
  • Isso corresponde a 31,9% da produção nacional;
  • A área atinge 3,7% das lavouras permanentes do país;
  • Gera R$ 9,7 bilhões de reais.

My default image

Dessa forma esses produtos tem grande importância para a economia nordestina, a região tem se fortalecido bastante em relação a agricultura.

Veja também: Pronaf Banco do Nordeste: conheça taxas e condições

Para que uma região seca, com pouca chuva e altas temperaturas tenha sucesso, foi muito importante investir em tecnologia. Dessa forma, minimizar as condições climáticas severas acaba sendo muito lucrativo em longo prazo.

Em resumo, essa mudança no nordeste favorece o pequeno produtor. e você que precisa de capital para modernizar o seu negócio e cultivar um ou mais desses produtos pode contar com a gente! De fato, a Culte tem financiamento pessoal voltado para o pequeno produtor familiar. Antes de tudo, entre em nossa plataforma financeira e veja nossos serviços.

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

My default image