My default image

Nós sabemos que o agronegócio pode sempre crescer, mas ainda assim existem dificuldades que só o custeio da safra, uma modalidade de empréstimo para produtores rurais, pode ajudar. 

A matéria-prima, os insumos e o maquinário exigem bastante investimento, e isso tudo se soma no custo final da produção. É por isso que existem instituições que estão aptas a dar a ajuda certa. A Culte, além de oferecer os melhores serviços para você, pequeno agricultor, ainda preparou este texto explicando tudo sobre como funciona o custeio da safra. 

Confira conosco este artigo!

My default image

Leia também: Contratar crédito: Qual a melhor opção

Por que o produtor rural deve pedir empréstimo?

De acordo com pesquisa feita pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), os pequenos produtores são responsáveis por um terço de toda a comida do mundo. 

É por serem fundamentais para a economia mundial que esses produtores rurais devem sempre ter investimento e apoio. O governo brasileiro, por exemplo, tem diversos programas que ajudam na hora de crescer e manter a produção, que envolve muitas (e diversas) despesas. 

Por isso que empréstimos para o custeio da safra, ou um financiamento, pode ser a solução ideal. O segredo é procurar a instituição correta. Na Culte, por exemplo, o pequeno produtor familiar pode sair na frente com as nossas vantagens e todo apoio que oferecemos na hora de gerenciar as finanças. 

O Plano Safra, custeado pelo Governo Federal, disponibiliza crédito para que instituições financeiras apliquem em produtores em todo o Brasil em vários programas, como o Pronaf, por exemplo. 

Leia também: Crédito pessoal: O que é e como contratar?

Como funciona o crédito de custeio de safra

Essa modalidade pode (e deve!) ser entendida como um importante investimento, já que permite melhorias em uma propriedade e, consequentemente, no quanto o negócio consegue faturar. 

O crédito rural, afinal, é uma parte do Plano Safra e oferece verba para o custeio da produção, investimentos na propriedade, comércio e industrialização de produtos. A maioria dessas linhas tem juros reduzidos e prazos mais longos.

de fato, as regras estão todas estabelecidas no Manual do Crédito Rural do Banco Central, que estabelece que os beneficiários do crédito rural são as cooperativas ou produtores rurais, tanto na pessoa física quanto na jurídica. Os recursos são aplicados para o custeio da produção agrícola e as taxas de juros variam. 

As vantagens do crédito

Portanto, em forma resumida, o agronegócio é um dos principais pilares da economia do país. É por isso que mantê-lo produzindo e crescendo é uma questão importante para todos nós. É aí que o empréstimo para o produtor rural entra, como um suporte para quem traz a comida da nossa mesa. 

Mas existem algumas outras vantagens que merecem ser destacadas. 

1) Taxas de juros menores 

Conforme já contamos nos artigos anteriores, as taxas de juros são um grande fator na hora de escolher um empréstimo. A grande diferença que tem o empréstimo para o produtor rural, especificamente, é a redução dessas taxas e até a isenção de outras tarifas.

2) Os prazos para pagar seu empréstimo

A depender da linha de crédito escolhida, os prazos podem ser maiores ou menores. De toda forma, a média dos prazos fica entre um e dois anos – mas alguns podem chegar a uma década. 

3) Apenas o que você vai precisar

Mesmo que as instituições financeiras tenham um limite na hora de oferecer um empréstimo para produtores rurais, os valores são pensados para que os clientes tenham suas necessidades atendidas. Dessa forma, o empréstimo vai combinar com o porte do negócio, a produção de cada fazenda e a capacidade de cumprir com o contrato. 

4) Para manter ou expandir o negócio

Pequenos produtores, de forma geral, têm sempre a intenção de aumentar a própria produção e expandir o negócio. Nesse sentido, um empréstimo faz toda a diferença. Por outro lado, nem todo produtor de menor porte consegue ficar confortável em períodos de crise social ou financeira e, por isso, o empréstimo pode salvar todo o negócio.

My default image

Quais os tipos de empréstimos para o produtor rural 

Existem várias linhas de crédito e, de acordo com o tamanho de cada produtor e para onde vão os recursos, as características de cada uma muda. 

No Brasil, as principais linhas são o Pronamp, voltado para o agricultor familiar; o Pronaf, para custeio de safra e investimento nas propriedades; e o Inovagro, que tem foco no investimento em tecnologia para a produção rural. 

Conheça mais um pouco de diversos tipos de empréstimos a seguir:

  • Custeio de safra: Serve para cobrir as despesas do ciclo produtivo, que incluem adquirir fertilizantes, defensivos, insumos, sementes, etc.. A mesma categoria também abarca a pecuária e seus custos de cuidado com animais, que somam vacinas e medicamentos, além de ração, entre outros gastos. 
  • Antecipação de custeio: Antes mesmo de começar o plantio, o produtor pode ter acesso ao empréstimo, podendo usá-lo diretamente para aquisição de todo material necessário para várias culturas. 
  • Pronaf Custeio para cooperativas: As cooperativas relacionadas à agroindústria podem ter acesso a essa linha de crédito, desde que seus participantes também sejam parte do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf)
  • Pronamp custeio: Aqui, o financiamento de despesas do ciclo de produção também é aceito, tanto para lavouras periódicas quanto para as permanentes e entressafra. O Extrativismo também entra nessa categoria, assim como a exploração pecuária. 

Como conseguir empréstimo sendo um produtor rural

Se você é produtor rural, seja como pessoa física ou jurídica, ou é parte de uma cooperativa, você pode buscar crédito. Mas, a primeira parte importante nesse processo é ter comprovação de que você é, de fato, produtor rural.

Além de apresentar comprovantes de renda e documentos da propriedade, é necessário ter o Cadastro Ambiental Rural (CAR) e o comprovante de pagamento do Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural (ITR) e do Certificado de Cadastro de Imóvel Rural (CCIR). Para quem faz uso do Pronaf, a lista de documentos se expande: é preciso ter sua DAP (Declaração de Aptidão ao Pronaf) ativa. 

Dicas finais da Culte

  • É sempre uma boa ideia contratar um seguro, afinal, imprevistos acontecem. Mesmo assim, seu empréstimo ainda vai precisar de pagamento. 
  • Conheça atentamente cada modalidade de crédito, incluindo as suas condições, para não ter nenhum susto na hora de assinar o contrato. 
  • Da mesma forma, prestar atenção às taxas de juros (e todas as outras relacionadas) é o melhor que se pode fazer. 
  • Leia com atenção o seu contrato! Não deixe que nenhuma pegadinha brinque com os seus sonhos e investimentos. 

E agora, onde buscar empréstimos?

Gostou do nosso texto detalhadinho sobre modalidades de crédito para produtor rural? Então vai gostar ainda mais das oportunidades que a Culte tem para oferecer. 

Desde empréstimos e antecipações de pagamento até ajuda na hora de vender sua produção e gerenciar sua propriedade, a Culte entende e busca o melhor para atender ao pequeno e médio produtor rural. 

Quer saber mais? Confere nosso site e conversa com a gente!

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

My default image