My default image

Provavelmente os termo ICO e IPO já apareceu para você em algum momento se você está inserido no mundo das criptomoedas. Mas você sabe quais as diferenças entre ICO e IPO?

Os dois conceitos são parecidos, mas apresentam algumas diferenças que precisam ser pontuadas, afinal, cada um tem sua particularidade.

Sendo assim, hoje a Culte vai te apresentar os pontos fundamentais sobre esses conceitos e principalmente, para que você entenda de vez as diferenças entre ICO e IPO.

Continue a leitura 🙂

My default image

O que é IPO? 

IPO – Initial Public Offering, em português, oferta pública inicial.

Nada mais é que processo de abertura de capital de uma empresa na bolsa de valores. 

Quando uma empresa está precisando de dinheiro, além dos sócios aportarem mais, ela tem a possibilidade de ir até o banco e pedir um empréstimo.

Ou acionar suas ações no mercado acionário, que é quando ela decide se tornar uma empresa de capital aberto, ou seja, quando decide entrar para a bolsa de valores.

Assim, a empresa realiza a troca de parte do seu capital pelo valor que está precisando. 

Em outras palavras, quando investimos numa IPO, estamos emprestando dinheiro para aquela empresa, para financiar projetos de expansão, novas aquisições, e em troca, viramos sócios daquela empresa e por isso temos direito de receber os futuros lucros que aquela empresa possa vir a dar. 

O IPO vende a oferta pública inicial dessa empresa, realizando sua estreia no mercado de ações.

É o momento que a empresa deixa de ser propriedade de um grupo seleto de pessoas (Ltda) e passa a ser uma sociedade anônima (S/A), se tornando uma empresa com ações negociadas na bolsa de valores. 

IPO – Como funciona?

O processo de entrada de uma empresa na bolsa de valores pode levar até 1 ano para ocorrer. 

E antes de mais nada, a empresa que deseja abrir seu capital precisa ceder o histórico de registro contábil dos últimos 3 anos no documento de entrada.

Além disso, neste documento também deve apresentar informações relevantes como, os planos futuros da empresa ou como funcionam as operações internas, por exemplo.  

Essas informações servem para atrair os investidores, convence-los de que aplicar dinheiro nessa empresa é um bom investimento. 

Para seguir essas normas e regras, as empresas montam um time de profissionais capacitados, composto por banqueiros, advogados, contadores, etc. 

Profissionais que dão mais credibilidade para os dados fornecidos. 

Mesmo com a atual pandemia do novo coronavírus, o número de empresas que entrou para a Bolsa de valores em 2020 bateu um novo recorde: foram 28 IPOs, calculados em R$43 bilhões. 

Contudo, esse recorde tem previsão de ser quebrado novamente em 2021, pois até julho deste ano, pelo menos 26 IPOs já haviam sido calculados em R $36 bilhões.

O que é ICO?

ICO, Initial Coin Offering, em português, oferta inicial de moedas.

Basicamente, ICOs são semelhantes às IPOs, porém no mundo dos cripto ativos. 

É como uma arrecadação de fundos não regulamentada para obtenção de dinheiro a fim de custear um projeto que será lançado para seus clientes. 

Em outras palavras, uma oferta antecipada de moedas, ou pré-venda. 

Neste caso, a moeda ainda não está disponível, o lançamento ainda não ocorreu, então é feita a ICO.

Em resumo, surge a ideia de criar um projeto de criptomoeda que traga um bom rendimento, mas o autor do projeto não tem capital para investir. 

Então ele decide criar uma ICO para vender tokens desse projeto (antes do lançamento) para alcançar os valores necessários. 

Finalmente, com o capital necessário obtido e com o lançamento do projeto, as moedas são concedidas ao público. 

Como funciona?

Para criar uma ICO é preciso apresentar o chamado Whitepaper, ou seja, explicar de fato como o projeto vai funcionar, como essa tecnologia vai operar. 

Elucidar sua criação e justificar porque ele faz sentido, bem como o processo de criação dos tokens, os casos de uso, os planos para o futuro, etc.

Em seguida, será feita a divulgação deste whitepaper e os planos de proposta de ativos digitais da empresa e só então se dá início às ofertas iniciais para que os clientes possam comprar a criptomoeda.

As ofertas acabam tendo mais de um round ou etapa. Ou seja, são feitas várias etapas até atingir o valor proposto.

Os investidores que decidem arriscar seu investimento em uma ICO, recebem tokens ou coins,  desse projeto, ou seja, ativos digitais. 

Depois de finalizado, uma corretora irá listar a nova criptomoeda em seu sistema. Assim, o investidor pode trocar por outra ou até mesmo por dinheiro.  

Todavia, caso o capital proposto pela empresa não tenha sido obtido, os investidores recebem de volta o valor que foi investido.

My default image

Quais as diferenças entre ambos?

As diferenças entre ICO e IPO não são difíceis de entender e nós podemos provar. Para atrair investidores, no IPO a empresa precisa apresentar toda documentação de receita, despesa, histórico, etc. 

Por outro lado, no ICO é necessário apresentar apenas o Whitepaper e caprichar no marketing.

No IPO, a empresa já tem o negócio testado, já tem clientes e tempo de mercado. Mesmo que no momento ela esteja precisando de capital para expandir, ela já tem um histórico de crescimento e lucros. 

No ICO, o projeto ainda não existe, as expectativas em criptomoedas sempre são altas e promissoras, o que atrai muitos investidores, principalmente aqueles com perfil de investimento de alto risco. 

No IPO, o processo de entrada na bolsa pode levar cerca de 1 ano. Enquanto no ICO o processo de abertura inicial de moedas é quase que imediato. 

Além disso, no IPO existe regulamentação, regras, limitações, auditorias e normas.

No ICO não existe qualquer regulamentação ou órgão que faça interferências. É um processo descentralizado. 

No entanto, é necessário um aprofundamento no projeto e de cada ponto proposto. É importante compreender que ativos tem alta volatilidade, para só então decidir se é viável ou não o investimento.  

Em resumo, quando se trata de IPO são apresentadas informações sobre um negócio conhecido, com registros e contas. 

O ICO não apresenta nada do que o mencionado acima.

Contudo, mesmo empresas com grandes promessas de valorização de ativos, podem acabar com o negócio desvalorizado. 

Assim como moedas podem se mostrar altamente significativas desde o pré-lançamento e continuar sustentando um ótimo desempenho.

Agora que você já entendeu as diferenças entre ICO e IPO, deixa eu te apresentar o mais novo lançamento da Culte!

Conheça a Cultecoin

A Cultecoin é um utility token BEP20, desenvolvido na blockchain da Binance Smart Chain, que chegou para revolucionar transações e trocas do agro de insumos por produtos. De fato, uma iniciativa inovadora!

Assim, com a nossa criptomoeda você terá acesso a todos os benefícios que compõem o Ecossistema Culte, como:

  • Conta digital
  • Emissão de boleto
  • Marketplace
  • Crédito pessoal agrícola

Foi dada a largada no 3º round, com valor de U$ 0,10 por token. Clique aqui e venha conosco levar o agro a outro patamar!

Vale a pena dar uma lida nesse conteúdo incrível que preparamos para você que quer saber como comprar.

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

My default image