Milhos especiais são as variedades de milho que foram desenvolvidas pela Embrapa, e são interessantes para a agricultura familiar e pequenos produtores, porque têm características nutricionais diferentes das espécies habituais e, dessa forma, diversificam a alimentação.

Nesse artigo você vai saber por que essas espécies devem estar no radar do pequeno produtor rural, e quais vantagens elas oferecem para a lavoura.

Conte conosco para contribuir para a sua lavoura. A Culte reconhece a importância do produtor rural para a economia do país, e dessa forma, queremos te ajudar. Entre em nosso site e veja nossos serviços criados especialmente para o produtor agro familiar.

Benefícios do cultivo de Milhos Especiais

Um grande diferencial é que a produção da própria semente é feita pelo agricultor.

Ao ser isolado, pode-se manter a pureza genética do grão. Além dos pontos acima, há um aumento na qualidade e diversificação da alimentação humana e animal, pois também há a possibilidade de disponibilizar um grão mais nutritivo aos animais de engorda, caso não se faça o uso de ração balanceada.

Milhos QPM: BR 451 e BR 473

As cultivares BR 451 e BR 473 são milhos com qualidade proteica melhorada porque seus níveis de lisina e triptofano (que são dois aminoácidos essenciais na dieta humana e de animais) são 50% maiores do que nas espécies de milhos comuns.

Assim sendo, o uso desses milhos especiais leva a um resultado superior em relação à engorda de animais não ruminantes, com um estômago simples e capacidade de armazenamento pequena. Como exemplo, temos frangos, suínos e o próprio homem.

Dessa forma, tais variedades de milhos especiais se tornam recomendadas especialmente para pequenos produtores, com ênfase naqueles que não têm ração balanceada para alimentar os animais que usam para subsistência.

Em relação à coloração, a espécie BR 451 tem grãos brancos. Já a BR 473 possui grãos amarelo alaranjados. As duas apresentam ciclo precoce de produção.

Milho pipoca BRS Ângela

Em suma, essa é uma variedade precoce de milho pipoca, que tem os grãos brancos. Seu maior diferencial em relação às demais espécies tornou-se a sua boa capacidade de expansão, com flores maiores. Portanto, essa espécie acaba sendo interessante tanto para o consumo doméstico, como para a comercialização.

Milho doce

Como o nome já fala, o milho doce tem uma característica própria e marcante, ou seja, o alto teor de açúcar em seu tecido vegetal, conhecido como endosperma.

Sua indicação para consumo é como o chamado milho verde. Entretanto, por ter um baixo teor de amido, o milho verde torna-se inadequado para o cozimento em pratos como pamonha e curau.

Tem um bom valor nutricional, mas após secar, perde a capacidade de venda como grãos e se desaconselha o uso para alimentar os animais.

As cultivares de milho doce da Embrapa são três: Superdoce (BR-400), Doce Cristal (BR-402) e BRS Vivisenda (essa última uma espécie híbrida).

Como usar as variedades de milhos especiais?

Se bem tratadas, as sementes de milhos especiais podem se multiplicar e reutilizar por vários anos.

Mas para que haja essa multiplicação e utilização da semente, deve-se plantar cada cultivar de forma isolada. Dessa maneira não ocorre a troca de pólen entre as mudas.

O isolamento pode ser feito de duas formas:

Primeiramente por distância, deixando-se cerca de 300m de distância entre as plantas.

A outra forma é por tempo, deixando-se 30 dias de intervalo entre o plantio de milhos diferentes no mesmo solo. Dessa forma, as cultivares manterão suas características agronômicas por mais tempo.

Época de plantio dos Milhos Especiais

A recomendação é para que o plantio seja realizado em setembro, com espaçamento de 80cm entre fileiras e 5 plantas por metro.

De certo, as sementes deverão ser plantadas a 5 cm de profundidade. O adubo deverá ficar mais fundo do que a semente, a 8 cm por exemplo.

Em relação à adubação, recomenda-se usar adubo NPK no plantio e adubação nitrogenada em cobertura. Caso não seja viável, usar alternativas disponíveis na propriedade, como estercos ou compostagens.

Leia Também: Produção Rural: Como melhorar a Produtividade

Colheita dos milhos especiais

As recomendações para a época da colheita são:

  • Selecionar as melhores espigas, com bom peso, formato cilíndrico, maior número de fileiras de grãos e ausência de deformidades.
  • Colher as espigas com melhor empalhamento, ou seja, aquelas em que a ponta das espigas estão bem protegidas pela palha. Dessa forma, diminuirá a incidência de insetos, principalmente o caruncho.
  • Dar preferência às espigas que estão viradas para baixo (decumbentes) porque isso evita podridões causadas pela umidade das chuvas.
  • Realizar a colheita precocemente, evitando ao máximo o seu atraso.
  • Durante a colheita e debulha, tomar muito cuidado para não causar danos mecânicos na semente.
  • Armazenar as sementes em local fresco, arejado e livre do contato com insetos e roedores.

Em resumo, há muitos benefícios ao se cultivar as espécies de milhos especiais citadas nesse artigo!

Quer desenvolver sua lavoura e não sabe como? Verifique nossas condições de empréstimo neste link.

Comentários

Valtenor A. S. Chequim

Excelente pesquisa. Parabéns aos pesquisadores, agricultores e consumidores que terão novas alternativas.

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *