My default image

Você conhece sobre projetos no agronegócio, como ele é feito? Já ouviu falar sobre projetista? Nesse artigo da Culte, explicaremos tudo sobre a elaboração de um projeto no agronegócio.

Acesse nosso site e saiba mais sobre nossos serviços, e em que podemos lhe ajudar em seu projeto. Aqui na Culte, mais do que conteúdos informativos, temos financiamento pessoal disponível com a finalidade de ajudar os pequenos agricultores a cultivar e a vender mais. Entre em nosso site e veja os nossos serviços financeiros disponíveis para lhe auxiliar.

My default image

Projetos de agronegócio são planos onde há a descrição detalhada sobre um objetivo específico. Esse objetivo tem relação com alguma construção no terreno ou uso de materiais e novas tecnologias. Podem ser projetos sobre a realização de uma nova cultura agrícola, a adoção e implementação de uma nova tecnologia ou a construção de um silo, como exemplo.

E como todo projeto, precisa seguir uma estrutura a fim de atingir esses objetivos de maneira clara, respeitando o prazo proposto e os recursos disponíveis. Dessa forma, vemos esse planejamento como algo único, que não se repete, já que está desenhado para uma situação distinta.

Para mais artigos informativos, acesse o nosso blog clicando no aqui.

Como gerir os projetos no agronegócio

Para que ocorra a gestão de projetos, o empreendedor rural precisa realizar a aplicação de conhecimentos, habilidades, ferramentas e técnicas para que eles sejam executados de forma eficaz e efetiva.

Ou seja, escolher a melhor solução, com qualidade e da melhor maneira possível. Por essa razão um projeto precisa ser bem detalhado, contemplando todas as situações possíveis para que assim seja bem executado.

Nesse sentido, a gestão de projetos age como uma ferramenta essencial para produtores rurais pois dessa maneira conseguem analisar as demandas do mercado, assim como desenvolver produtos ou serviços que atendam essas demandas. A cada projeto, entende-se mais sobre o negócio e mercado, podendo usar esses dados para crescente desenvolvimento dos negócios.

Quem pode usar projetos no Agronegócio

Embora se pense que essa preocupação só é importante para grandes empresas e propriedades do agronegócio, esse tipo de gerenciamento se mostra importante para todos os agricultores.

Isso ocorre independentemente do tamanho, produto, serviço e processo que desenvolvem.

O que é um projeto

Um projeto existe para alcançar o objetivo traçado, e isso é válido para empreendimentos rurais de qualquer porte. Afinal, todos têm um objetivo em mente, certo? Seja aumentar os lucros, expandir o terreno, adotar novas tecnologias. Tudo isso são objetivos que para serem alcançados, precisam de um projeto bem estruturado, descobrindo estratégias mais eficientes para chegar ao resultado pretendido.

Todas as etapas do projeto devem ser levadas em consideração diariamente e seu processo de gerenciamento precisa ser atualizado de acordo com as demandas que surgirem.

Projeto Técnico para Financiamento: saiba mais.

Diferença entre projeto e processo

Projetos atuam de forma temporária e pré-definida, com um resultado único. Ou seja, sua execução só ocorre depois que o projeto está terminado.
Já o processo é contínuo e pode produzir resultados repetitivos e padronizados. Como exemplo, há alguns processos que já são conhecidos pelos produtores, que os repetem para atingir objetivos já alcançados.
Para melhor compreensão, vamos supor que temos a situação de implantar uma nova cultura agrícola.

Para isso, deve-se realizar pesquisa de mercado sobe essa cultura, assim como diversas etapas até o planejamento das operações. Tudo isso é feito por meio de um projeto único e estruturado especificamente para a implantação dessa nova cultura.
Depois que a implantação for feita, a produção dessa cultura torna-se um processo repetitivo, que precisa estar alinhado com as mudanças do mercado para sua constante evolução.

Gestão de projetos no agronegócio

Entendemos o projeto como um esforço temporário para alcançar o resultado proposto. Portanto, a gestão de projetos no Agronegócio lida com a forma que ele irá caminhar. Ou seja, o gerenciamento dá o tom de todo o projeto de agronegócio.

Estabeleça uma meta, como exemplo iniciar uma nova atividade agrícola, reformar o armazém, abrir um novo canal de comercialização ou obter uma nova certificação.

Para que a meta possa se realizar, gerencie como chegar nesse objetivo. Faça um planejamento e análise de forma constante seus resultados, assim saberá que está no caminho certo.

Leia também: Gestão Financeira: 4 dicas para cuidar do seu negócio

My default image

Utilização da gestão de projetos no agronegócio

Como visto anteriormente, a gestão de projetos para agronegócio funciona de forma a organizar e aperfeiçoar implantações e modificações no setor, aumentando a produtividade e melhorando a qualidade do negócio.
Essa gestão age de forma adaptável e por essa razão, diferentes portes de empreendimentos rurais podem fazer uso.
Há algumas situações em que se pode usar a gestão de projetos, nessas, destacamos:

– Implantação novas atividades agropecuárias

Para essa categoria, seja com uma nova cultura ou uma nova atividade de criação animal, precisa considerar a atividade como um projeto, com data para início e término da implantação, assim como todo o planejamento e acompanhamento de suas etapas.

– Ampliações e construções de benfeitorias

Seja ao construir um curral, aumentar a capacidade de armazenamento de um silo e recuperar as cercas de divisa da propriedade rural, esses objetivos devem ser vistos como um projeto. Dessa forma, fica mais fácil realizar a gerência simultaneamente.

– Implantação de inovações

Chamamos de inovação quando ocorre a implementação de um produto, que pode ser um bem ou serviço, tanto novo ou significativamente melhorado. Essa inovação pode estar presente na organização do local de trabalho ou em relações externas a este.

A transformação digital do Agro na Pandemia

Ciclo de vida de um projeto no agronegócio

Como lidamos com projetos e estes são temporários, o ciclo de vida torna-se muito bem definido. Ou seja, o projeto, assim como os seres vivos, nasce, cresce, produz e se encerra.

Dessa forma, cada fase do ciclo de vida de um projeto é vista sob um determinado foco, como veremos a seguir.

– Início

Primeiro processo do projeto. Nele, todos os colaboradores que devem estar envolvidos com a gestão do projeto têm o primeiro contato com o projeto e com o início das atividades. O líder comunica a esses colaboradores os detalhes da proposta, desde os objetivos até o prazo que todos têm para executar a tarefa. Nessa etapa, também se inclui fornecedores e clientes, caso estejam envolvidos.

– Planejamento

Depois que todos os envolvidos estiverem cientes e de acordo com o início das atividades, será realizado o planejamento de todas as etapas desse projeto.

Nesse momento se determina qual o método que será usado, bem como o custo para cada objetivo e seu prazo de término.

– Execução

Como resultado do planejamento, chegou o momento de colocar em prática os passos definidos para alcançar os objetivos. Pode-se dizer que a execução é o processo mais importante dentro do gerenciamento de projetos no agronegócio. Ainda mais porque nesse momento tudo será posto em prática.

Cada acontecimento nessa etapa deve ser documentado.

Porque além de demonstrar maior organização, melhora a forma de analisar os resultados por meio dos indicadores que citaremos nesse artigo.

– Controle e monitoramento

Essa etapa deve acontecer ao mesmo tempo em que a execução. Ao passo que há a necessidade de acompanhar todas as atividades, assim como os seus resultados. Para que essa etapa tenha sucesso, a base do projeto deve estar bem definida antes do seu início, o status atual e quais são os status esperados para cada etapa.

– Encerramento

Por fim, chegamos ao último processo da gestão de projetos no Agronegócio. O momento diz respeito a entrega de todos os dados e resultados obtidos durante os processos anteriores.

Agora se avalia se os resultados foram os esperados. Caso haja a necessidade, inicia-se um novo.

Como realizar a gestão de projetos

Uma grande dificuldade em programar os projetos no agronegócio ocorre porque muitos empreendedores rurais entendem que isso irá dar trabalho.
Porém, o projeto existe para organizar e facilitar a gerência dos objetivos.

7 Passos para realizar a gestão de projetos no agronegócio

1- Definição de um líder para gerenciar os projetos no seu agronegócio

O primeiro passo para uma boa gestão de projetos no Agronegócio.

Define-se uma pessoa com habilidade de liderança, já que esta terá que lidar com outros colaboradores, assim como assumir grandes responsabilidades.

As ideias seria considerar uma pessoa que já tenha experiência dentro do empreendimento rural ou pecuário porque essa pessoa entende como os processos funcionam. Dessa forma será mais fácil tocar o projeto

2- Estabelecer quais os projetos a serem executados e os prazos de execução

Explicamos no começo desse texto que o projeto é temporário, e, portanto, ele precisa de uma data para acabar. Mesmo que se defina que será um esforço a longo prazo ou seja feita a renovação de alguns deles, deve-se determinar uma data limite para a execução das estratégias planejadas.
Claro que tudo depende do objetivo principal e o grau de dificuldade em atingi-lo.

3- Criações de etapas dentro de cada projeto

Dividir para conquistar. Pense que cada projeto possui uma única meta. Portanto, dentro de cada um, devem-se estabelecer as atividades corretas para alcançar a meta. Dessa forma fica mais claro saber o que precisa ser feito para realizar o planejamento.

4- Definições de um cronograma para o projeto do agronegócio

Se ativer a um calendário é parte essencial de um projeto que tem data para acabar. Dessa forma se evita perder tempo e recursos porque cada atividade tem seu tempo certo para acontecer em ordem de prioridade. O cronograma alinha todas essas atividades e aperfeiçoa o projeto.

5- Reuniões periódicas de alinhamento

Mesmo que haja a existência de um líder, toda a equipe responsável precisa conversar periodicamente.

Dessa forma, cada membro consegue entender melhor em que parte o projeto está, quais pontos precisam de atenção e sentir como o projeto está caminhando como um todo. Dessa maneira, chega-se a melhores resultados, quando todos estão cientes.

6- Uso de ferramentas de automatização para os projetos no agronegócio

A tecnologia torna-se uma grande aliada quando o assunto é organização. Para que a gestão de projetos no Agronegócio seja eficaz, faça uso de ferramentas de automatização.

Plataformas como o Trello atuam na visualização de um projeto como um todo. Com a ajuda dessas plataformas, todos podem verificar o andamento do projeto, as etapas realizadas e futuras. Além disso, essas ferramentas também auxiliam o líder no controle das informações para a equipe.

7- Feedback dos resultados

Um projeto deve ser bem controlado, com acompanhamento constante de resultados de acordo com indicadores de desempenho.

Assim será possível saber qual o grau de eficácia das atividades exercidas e se há a necessidade de fazer alguma alteração no método de trabalho.

Além disso, trabalhar com feedbacks para que os envolvidos estejam mais cientes sobre os seus resultados é uma forma de lapidar o trabalho.

Pois dessa forma, os colaboradores conseguem aperfeiçoar suas próprias rotinas, assim como melhorar os seus resultados até o fim do projeto.

My default image

Principais indicadores de desempenho de projetos no agronegócio

Os maiores desafios do líder do projeto acabam sendo manter o ritmo de atividades e a conclusão de cada etapa dentro do planejamento e cronograma de ação.

Quanto maior o número de projetos, o tamanho e a complexidade deles, maior será também essa dificuldade com os prazos.

Desta forma, o projeto precisa fazer uso de indicadores que podem revelar a situação momentânea e em longo prazo de um projeto.

Veja abaixo os cinco principais indicadores da gestão de projetos.

– Valor agregado (VA)

O valor agregado atua como uma medida do progresso efetivo do projeto até determinado instante.

Como exemplo: imagine uma propriedade rural de 1.000 hectares.

Neste local, houve a implantação de culturas de cobertura em 250 hectares. Portanto, o valor agregado será de 25%.
Mas não sabemos se para atingir esse resultado, mais ou menos recursos foram gastos.

Dessa forma, o IDP e o IDC têm relação direta com o VA, como veremos a seguir.

– Índice de Desempenho de Prazo (IDP)

O Índice de Desempenho de Prazo (IDP) age como uma medida que determina o andamento do projeto em relação ao cronograma proposto anteriormente. O IDP é obtido pela divisão do valor agregado (VA) das entregas pelo valor planejado (VP), ou seja, a equação VA/VP.

Caso o valor seja igual a 1, significa que o projeto está de acordo com o planejado. Valores acima de 1 demonstram adiantamento, e valores abaixo de 1 indicam atraso na execução.

– Índice de Desempenho de Custo (IDC)

Já o IDC indica os dados sobre o curso do projeto em relação ao orçamento previsto e disponível: o VA (em valor monetário) das entregas / custo planejado das entregas.
Esse indicador ajuda a identificar situações em que o projeto pode estar consumindo recursos, sem que isso denote um legítimo progresso.
Com o IDC, dá pra medir quanto de retorno existe para cada valor investido. Vamos a conta:
Caso o resultado da relação for igual a 1, é sinal de que o projeto está correndo como o previsto; se o resultado for maior do que 1, está agindo de forma econômica; mas se o resultado for menor do que 1, indica estouro do orçamento.

– Taxa de tarefas realizadas

Mede-se pelo cronograma e ajuda no monitoramento da taxa das tarefas que já foram realizadas.

Dessa forma, a taxa é dada pelo número total de tarefas realizadas divididas pelo número de tarefas do cronograma.

Assim sendo, fica mais fácil acompanhar os prazos.

– Desvios de esforço

Outro indicador que merece atenção. Es desvios de esforço calculam a diferença entre os esforços estimados e os empenhos reais feitos no projeto. Isso inclui diversas comparações, como a contagem de horas previstas e o que foi realmente trabalhado, como exemplo.

Se os desvios forem muito grandes, há indícios de que as estimativas iniciais estavam incorretas. Ou seja, que ocorreu o consumo de mais recursos do que o previsto para acontecer.


Mensura o orçamento, horas trabalhadas e o prazo de realização. Se em desacordo, possibilita a reavaliação do projeto para identificar o que consome tanto tempo e recurso, mas não gera o progresso esperado. Portanto, o uso dos indicadores de gerenciamento de projetos torna a gestão mais eficiente e possibilita uma boa oportunidade para ter resultados mais satisfatórios.

O Projetista

O projetista é o profissional responsável pelo desenvolvimento dos projetos de agronegócio. Ele é a pessoa que ajudará o agricultor a fazer seu projeto de forma clara e efetiva para obtenção de crédito.

Dessa forma, essa pessoa deve ser capacitada por meio de cursos, disponíveis de forma hibrida, para quem deseja entrar nessa área. E ser cadastrada em instituições financeiras para a elaboração de projetos rurais para obtenção de crédito.

Nesse curso de projetista, é abordado as questões financeiras, estruturais, ambientais e legislativas que envolvem o trabalho agropecuário.

De fato, a função do projetista é elaborar e analisar projetos rurais que estejam de acordo com a legislação ambiental em vigor e a política de desenvolvimento agropecuário do país, com a intenção de atender às necessidades do produtor rural (PF/PJ). Contribuindo para a concessão de financiamentos rurais conforme as várias fontes de recursos disponíveis.

Como por exemplo, nesse link do Banco da Amazônia podemos ver a Cartilha de Orientações Técnicas para projetos de financiamentos. Além de um roteiro para Carta Consulta, a ser seguido, para desenvolver um projeto com o objetivo de crédito financeiro.

Assim, o projetista poderá auxiliar o agricultor na conquista de seus objetivos.

Seja qual for o seu projeto, a Culte disponibiliza crédito para você tirá-lo do papel. Entre em nosso site e conheça nossos serviços financeiros.

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

My default image