O NFT segue como uma tendência, apesar de sua popularidade ter decaído nos últimos meses, nesse artigo vamos falar do primeiro NFT. De fato, o famoso dicionário Collins, escolheu a palavra NFT como a palavra do ano em 2021. Vale a pena entender como os NFTs surgiram e mais sobre a história desse ativo digital.

Nesse artigo você aprenderá sobre:

  • Resumo da história do NFT
  • Os primeiros projetos
  • Mercado da arte tradicional vs NFT

My default image

Como os NFTs surgiram e a história do primeiro NFT

O termo NFT é recente, não possuindo mais que dez anos. O desenvolvimento começou em 2012, mas somente em 2014 que o NFT começou a ganhar vida na ideia de criar “um conjunto de ativos digitais colecionáveis e conectados, descentralizados, intencionais, escassos, transferíveis e sem expiração, baseados em blockchain.”

Contudo, Anil Dash, um executivo de tecnologia americano, criou uma startup chamada Monegraph em 2014. De fato, junto com essa startup, o artista digital Kevin McCoy criou o primeiro NFT no dia 03 de março de 2014. 

O primeiro NFT criado é o “Quantum”, que é uma imagem digital de um octógono pixelado que fica mudando de cores de modo hipnotizante. 

No dia 05 de março de 2014, Dash e McCoy fizeram uma apresentação sobre o primeiro NFT no evento Seven on Seven, realizado no New Museum of Contemporary Art de Nova York, impactando diretamente em como os NFTs surgiram.

Mas então, o que é NFT?

Temos um artigo explicando bem o que é um NFT, mas resumidamente: NFT é a abreviação de Token Não Fungível (non-fungible token, em inglês), sendo um ativo digital autenticado e único. 

Dessa forma, o NFT pode ser uma arte gráfica, uma música, uma coleção de cartas, na realidade, NFT pode ser qualquer coisa que esteja na internet, como um Tweeter ou um perfume totalmente digital.

Surgimento dos NFTs

Em 2015, ocorreu a Devcon, que é uma conferência para desenvolvedores e entusiastas da blockchain Ethereum, que ocorre anualmente desde 2014. Durante a conferência de 2015, o primeiro projeto NFT, Etheria, entrava em ação, durante a Devcon 01.

A Etheria foi o primeiro projeto NFT da história e também o primeiro projeto dentro do metaverso. 

A Etheria é um mapa onde os terrenos ficam dentro do metaverso e podem ser negociados através da blockchain Ethereum. Você pode explorar o mapa da Etheria aqui.

Portanto, com a popularidade crescendo, a Ethereum passou a ser lar de muitos desenvolvedores e artistas que começaram a lançar seus projetos NFT. 

Em Setembro de 2016, foi criada a coleção de NFTs ‘Peperare’, inspirada nos memes da internet “Pepe The Frog”, personagem criado por Matt Furie. Essa estimulou novos desenvolvedores e inspirou novas comunidades dedicadas aos NFTs.

Em 2017, a Larva Labs, uma empresa composta por duas pessoas, Matt Hall e John Watkinson, iniciou o projeto conhecido por CryptoPunks. O lançamento dos NFTs ocorreram ao vivo na Ethereum, dando início a um novo padrão tecnológico utilizado pelos NFTs.

Como resultado com o lançamento desse projeto, o NFT passou a ganhar cada vez mais popularidade. O CryptoPunks estabeleceu um novo padrão na criação de NFTs. Foram criadas 10 mil NFTs que fazem parte dessa coleção de pixel art de 8 bits, inspirados na cena punk de Londres dos anos 70. 

My default image

2021: O melhor ano do mercado NFT

O ápice do NFT foi em 2021, pois com a popularização das criptomoedas e suas tecnologias, o mercado de NFT se tornou bilionário, fazendo uma verdadeira revolução no que se diz respeito às artes digitais. 

As cinco maiores vendas NFT:

  • Everydays: The First 5000 Days – 69 milhões de dólares.
  • Clock –  52 milhões de dólares.
  • Beeple, Human One – 29 milhões de dólares.
  • CryptoPunk #5822 – 23 milhões de dólares.
  • CryptoPunk #7523 – 11 milhões de dólares.

Certo que existem NFTs que são vendidos por valores bem inferiores, como poucos reais ou centavos, mas essas vendas mostram que o NFT é uma realidade. Se 2021 foi o ano perfeito para esse mercado, 2022 não segue os mesmos passos. 

Afinal o mercado NFT segue ativo e demonstrando grande entusiasmo e qual a ligação do mercado de artes digitais com o mercado da arte tradicional?

Mercado da arte e o NFT

Hoje, o mercado de artes digitais – os NFTs – já estão estabelecidos, passando por constante mudança e desenvolvimento tecnológico, mas são uma realidade. E, apoiando o crescimento desse setor, o mercado da arte tradicional parece não estar indo na contramão da história.

A Pace Gallery, uma das maiores galerias de arte do mundo com sede em Nova York, lançou em 22 de novembro de 2021 a Pace Verso, sua plataforma NFT dedicada a lançar projetos NFT. Desde então, a Pace lançou vários projetos NFT com diversos artistas.

O envolvimento de galerias tradicionais com o universo de NFTs demonstra que essa é uma tecnologia que está sendo bem recebida por todos e com bastante potencial de crescimento. 

NFT da Pace Verso, criado por John Gerrad.
John Gerrard, Petro National (United States of America), 2022 © John Gerrard / Artist Rights Society (ARS), New York

Porém, diferente do que muitos podem pensar, o mercado da arte tradicional anda de mãos dadas com o mercado de arte NFT.

A criação de artes digitais vendidas como NFTs abrangem um público maior, visto que não exige que você seja um artista renomado para participar, até adolescentes podem criar e vender NFTs. 

Assim como obras de artes, o NFT possui seu selo de autenticação, que pode ser visualizado dentro da blockchain, garantido que cada ativo é único e original.

Você pode salvar a imagem de uma arte NFT, assim como tirar uma foto da Impressão, nascer do sol, obra de Monet, porém, isso não quer dizer que você possui alguma delas. A obra de Monet continuará sendo exibida no Museu Marmottan Monet e o NFT possui um certificado digital mostrando quem é o verdadeiro dono.

Leia também: O que é metaverso?

My default image

Qual foi a moeda usada para comprar os primeiros NFTs?

Uma informação importante é que a maioria dos NFTs, principalmente os mais antigos, eram disponibilizados pela blockchain Ethereum e vendidos através da criptomoeda Ether.

Como resultado é importante saber que a Ethereum foi criada pelo programador Vitalik Buterin, em 2013.

De fato, a Ethereum é uma blockchain descentralizada e que possibilitou o desenvolvimento inicial dos NFTs, sendo a Ether, moeda nativa dessa plataforma.

Portanto, sabemos que o primeiro NFT criado foi o Quantum, criado em 2014. Porém, a Etheria, desenvolvida em 2015, reivindica o título de primeiro projeto NFT criado na história, por cumprir com todos os requisitos.

Por fim, independente de quem realmente foi o primeiro, sabemos que o mercado NFT tornou possível a popularização das artes digitais e gerou um mercado bilionário, com uma tendência positiva para os próximos anos. Estima-se que esse mercado possa movimentar cerca de 122 bilhões de dólares até 2028.

Enfim, se você não quer deixar passar nenhuma oportunidade, que tal ficar de olho na GreenBullsClub e ter a oportunidade de comprar sua NFT da Culte.

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.