My default image

Nos últimos anos, exportação de frutas para a Europa, sofreu com uma série de problemas logísticos, causados principalmente pela pandemia. 

Mesmo assim, a Europa continuou sendo o principal destino do mamão brasileiro para exportação. Mais que isso: a venda de mamões para países europeus bateu recordes no primeiro semestre de 2021. 

De fato, para entender mais sobre esse recorde de exportação, a Culte explica tudo neste artigo!

My default image

O recorde de mamão brasileiro na Europa

Conforme já mencionamos anteriormente, a Europa é o principal destino da produção de frutas para exportação no Brasil. Esse mercado, porém, foi abalado com a pandemia, que causou travas na logística. Desde limitação de voos e cargueiros até crises financeiras, os primeiros anos prejudicaram quem exportava – e quem importava também. 

Mesmo assim, entre janeiro e julho de 2021, os produtores brasileiros enviaram 30,3 mil toneladas para o exterior. Isso significa, de acordo com a Secretaria de Comércio Exterior (Secex), o maior volume registrado desde 1997. 

A maior parte do nosso mamão (aproximadamente 90% dele) foi consumido na Europa. Grandes parcelas tiveram destino para Portugal, Holanda, Espanha e Alemanha. Dessa forma, o total de frutas do Brasil no mercado europeu teve alta de 24% em relação ao mesmo período no ano de 2020. 

De acordo com o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea-Esalq/USP), esse fluxo gerou US$ 30 milhões, segunda maior receita da história. Esta fica apenas 3% atrás do pico alcançado em 2018. Com a conversão para reais, porém, dada a taxa de câmbio atual, o número se eleva de forma positiva sobre o recorde anterior. 

O resto do ano deve seguir essa tendência de altas na exportação de mamão para a Europa, conforme as o mercado se adapta após a crise da pandemia de covid-19. 

O porquê do aumento da exportação das frutas para a Europa

Portanto, segundo a pesquisa do Hortifruti/Cepea, a alta do consumo do mamão brasileiro no exterior tem origem na taxa de câmbio no período. Isto é, com o Dólar muito valorizado em relação ao Real, compradores de fora ganham mais. Além disso, a qualidade da fruta nacional também atrai compradores internacionais. Some-se a isso a retomada dos voos comerciais e uma adaptação ao uso dos aviões cargueiros, que estão sendo usados (por terem menos restrições) no transporte para o “velho continente”. 

My default image

Como participar dessa tendência 

Conforme vimos, a Europa valoriza a produção de frutas do Brasil e é, hoje, a nossa maior compradora. Dessa forma, vale a pena mirar as metas na venda para exportação, inclusive do mamão, aproveitando também as vantagens do acordo econômico entre o Mercosul e a União Europeia. 

As etapas para conseguir exportar frutas para a Europa são:

Avaliar sua capacidade de exportar frutas para a Europa

Para exportar, é preciso investir em informação, inovação e tecnologia, se adequando às exigências do mercado no exterior. Além disso, é preciso reconhecer e classificar sua mercadoria, buscar certificações e produzir seguindo alguns padrões. 

Formar o preço de exportação e identificar o mercado para seu produto

Não é só embalar e enviar: o seu produto deve ter qualidade e deve se encaixar com o mercado de interesse. Por isso, pesquisas de mercado são sempre necessárias, uma vez que ajudam a:

  • entender quais mercados estão abertos para o que você oferece;
  • identificar tendências e vantagens comerciais; 
  • descobrir quais são seus concorrentes;
  • prever barreiras e ameaças;
  • juntar as informações e documentos você precisa para se incluir em tal mercado. 

Além disso, é importante tomar vantagem de acordos comerciais entre países, redução de tarifas, utilização de zonas de livre comércio etc. 

Promover seu produto e negociar com seu comprador/importador

Sim, a comunicação e o marketing são parte importantes para o seu negócio. É assim que as empresas conquistam espaço na exportação de frutas para a Europa. É também com essa promoção da qualidade que a negociação de preço vai ser mais vantajosa para você, exportador, elevando o valor do seu produto e do serviço que oferece. 

Operacionalizar a exportação de frutas

Esta é a parte que envolve a certificação de produtos, cadastros e outros detalhes do tipo.

Existem muitas certificações as quais seu produto (e seu mercado) podem estar sujeitas, como a Certificação Halal, por exemplo, voltada principalmente para liberação de comércio com consumidores mulçumanos. Outra é a Certificação de Orgânicos, um reconhecimento de produção de acordo com os padrões para produtos orgânicos. Uma terceira é conhecida como Fairtrade (Comércio Justo), que preza pelas noções sociais, econômicas e ambientais envolvidas com a produção.

Já sobre registros, a lista inclui o cadastro no Departamento de Comércio Exterior (Decex) e nos Sistemas de Comércio Exterior (Siscomex). O governo brasileiro reuniu a maioria das informações sobre exportação no site do Siscomex. No portal também há informações sobre as instituições que podem oferecer apoio, como Confederação Nacional da Indústria – CNI, o SEBRAE e outros órgãos. 

Nós temos mais um artigo falando, em detalhes, sobre como exportar para Europa, que você pode conferir clicando aqui

Como ter segurança para levar suas frutas para a Europa?

Portanto, quem tem um bom parceiro, tem tudo. E é para isso que a Culte está aqui! Se seu objetivo é chegar à exportação de frutas, você deve começar a investir desde já no seu negócio. Com a Culte, você pode ter acesso a créditos, cuidar do seu negócio, vender através do nosso marketplace e conquistar cada vez mais espaço e qualidade. 

Conte conosco e conheça nossos produtos clicando aqui!

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

My default image